Crônicas de Caithness

Share Button
gurps_fantasy

GURPS Fantasy, traduzido pela Devir em 1992, correspondente à 2a.ed. do GURPS Fantasy em inglês, de 1990.

Confesso que só vim a gostar e sinceramente apreciar o antigo GURPS Fantasy, hoje GURPS Banestorm, depois de muitos anos. Yrth é um mundo maravilhoso, suas histórias e reinos são ótimos e cheios de aventuras. Só sinto falta de maior pluralidade de idiomas e nações, limitada que está Ytarria ao ânglico, norlandês, algo tipo japonês e o islâmico, com bem pouco de ladino, francês e alemão, bem pouco mesmo.

Na edição traduzida pela Devir vimos o continente de Ytarria no ano de 1990, que é a data de publicação da 2a.ed. americana deste suplemento.

Com GURPS 4a.ed. ficou decidido que o mundo de Yrth ganharia uma nova roupagem. Em 2005 foi lançado GURPS Banestorm, já que GURPS Fantasy se tornou um suplemento para campanhas de fantasia em geral, e Banestorm seria o cenário de Yrth especificamente. Como não vamos falar do GURPS Fantasy 4a.ed., quando usarmos esse nome aqui estamos nos referindo ao GURPS Fantasy 2a.ed. americana de 1990, que é aquele que foi publicado pela Devir em 1992 com o mesmo nome.

Logo de cara já vemos uma mudança fundamental: Fantasy tinha 144 páginas, contra as 240 de Banestorm! Quase o dobro. Embora a edição nacional acompanhasse um mapa razoável do mundo, do tamanho de duas paginas, dobrado, a nova edição possui 16 páginas de mapas mais bem elaborados, tanto em detalhes quanto em qualidade dos traços. Basta ver o reino de Caithness, que no mapa anterior tinha apenas as principais localidades: Carrick (capital), Sterling, Durham, Simonton e Blythe. Enquanto que, no novo mapa, possui muito mais localidades que eram citadas no texto do Fantasy, eram importantes para a política e história do jogo, mas que sequer apareciam no mapa: Mershall, Fordham, Deerhall, Wallace, Redhall, Ferrier, Photius, Oakwood, Denton, Donlis, Harkwood (este teve até um suplemento só dele: GURPS Fantasy Harkwood) e as ruínas de Autheuil na Grande Floresta.

gurps_banestorm

GURPS Banestorm, de 2005, que nunca será publicado pela Devir…

Fora essas atualizações evidentes, temos outras como a atualização da Linha do Tempo para os anos correntes. O ano em Yrth é o mesmo que o nosso. Se estamos em 2015 d.C. eles estão também em 2015 d.C. Se passaram 15 anos entre uma publicação e outra (1990-2005) e muita coisa mudou. Entre elas a tão aguardada Guerra Civil de Caithness! Era inevitável e o Fantasy já dizia que isso poderia ocorrer. Dito e feito, em 1999 eclode a Guerra Civil, iniciada pelo Barão Deneral de Mershall. O cara não valia nada antes e não vale nada agora, já tinha roubado terras de Carrick, só estava esperando um pretexto e conseguiu. Não estou defendendo Conal VI não, é um rei jovem e inexperiente, mas me parece muito bundão, apesar do livro dizer que ele é carismático e competente (303 pontos!). De que vale esse carisma todo se não consegue manter um reino em paz? Felizmente, ao menos, ele reconheceu Lady Bronwyn de Durham como sucessora de seu pai Peredur. Ela, e toda Durham, estavam “magoados” com o rei porque este não tinha conferido status de baronato a Durham e não reconhecia Bronwyn, apesar de, a princípio, ainda serem favoráveis ao rei.

Em 2001 temos outro evento marcante: Blythe caiu!!! Os reptantes tomaram a cidade. E em 2002 os elfos da Grande Floresta parecem se insinuar e infiltrar no governo de Harkwood. E, para piorar, em 2005 a Guerra Civil ainda não tinha acabado, já durando longos 6 anos. Até onde isso vai arriscar a independência de Caithness? Historicamente países divididos foram invadidos por tropas estrangeiras. Grécia em guerra civil foi conquistada facilmente pela Macedônia, Portugal vivia sendo ameaçada pela Espanha e, em muitas crises dinásticas em Portugal, a Espanha atacou sem dó! O que Mégalos à leste fará? Lembrando que já houve três guerras entre eles: 1827, 1932 e 1982. E a ameaça representada por orcs e reptantes à oeste? Lembrando que em 1925-26 os orcs invadiram Caithness mas foram rechaçados, e que em 1930 Caithness cruzou o Grande Deserto, na sua menor extensão, para colonizar as Terras Orcs, mas foram expulsos por orcs-anões em 1985, conseguindo derrubar o Castelo Defiant (Desafiador) em 1994, que agora jaz em ruínas! E os elfos da Grande Floresta ao sul, o que estarão tramando?!

Outras mudanças

banestorm_world

Mapa de Ytarria. Clique para ampliar, mas alerto: é bem grande e tem 3,8 Mb!

Não chega a ser uma mudança, mas a Floresta Negra, que já dava estranhos sinais de estar se expandindo para o sul, parece que AVANÇOU significativamente para o sul mesmo! A floresta está espremendo Hyrnan ainda mais contra a Baía da Fechadura! O pior é que essa é a principal rota de comércio de Mégalos com o ocidente! Em 2002 eles fizeram uma expedição à Floresta Negra e voltaram com EVIDÊNCIAS da atividade de ELFOS NEGROS! Sim, a velha feitiçaria voltou a ser praticada pelos “Defensores das Florestas Sombrias”. Sim, essa “organização” surgiu em 340 a.C., sendo eles os precursores dos Elfos Negros, esse culto sinistro, xenofóbico e racista. Esse nome da organização aparece apenas no Banestorm, não sendo citado no Fantasy (salvo engano). São 2355 anos sacaneando Yrth

Em 1991, al-Wazif ataca e conquista a cidade Megalana de Bannock. Megalos reagiu e deu início às Guerras da Fronteira, que durou até 1995 (com dois cessar-fogo nesse tempo), e milhares de homens mortos. Atualmente assinaram tratado de paz, mas parece que al-Wazif levou Bannock! Acho que Mégalos dá sinal de decadência.

Em 1999, como falamos, eclode a Guerra Civil de Caithness. Rei Conall VI, com 36 anos em 2005, é um excelente economista, um estrategista hábil e carismático, mas muitos dos lordes de Caithness não querem um rei, mas a liberdade do feudalismo!

Mégalos é o reino mais poderoso ainda, mas não realiza mais conquistas, e o Imperador está preocupado com seu próprio prazer. Al-Wazif continua com sonhos de invadir Mégalos, os orcs-anões são uma ameaça a Caithness, os homens do norte observam Mégalos esperando por um sinal de fraqueza. Al-Haz está cheia de problemas internos, piratas assolam Cardiel e Araterre. E Sahud… Bem, continuam na deles.

Guerra Civil em Caithness

Mais ou menos assim: em 1994 o Castelo Desafiador foi tomado pelos orcs-anões e os colonizadores fugiram pelo deserto de volta a Caithness, aguardando em Wallace. Muitos foram para Carrick convencer o rei a ajudá-los. O rei Conall VI aquiesceu e foi pessoalmente com suas tropas. Quando estava em Wallace, o Barão Deneral de Mershall aproveitou esse momento para atacar Carrick. Só que o rei esperava por isso e deixou seus melhores homens defendendo a cidade, incluindo a Ordem da Cantaria. Através de comunicação mágica ele foi avisado do ataque, retornando à capital e, com ajuda de Tacitus, venceu Deneral, que fugiu para Sterling! Lembrando, segundo Fantasy, que Bruce de Sterling ERA veterano da 3ª Guerra Megalana de 1982, não quer ver Deneral no trono, mas se Conall continuar fraquejando ele poderá tomar o trono pra si, e é um dos poucos que poderia fazê-lo. Só que ele está morto, e agora quem governa Sterling é Lord Towne, que é bem menos leal a Conall que seu pai! Daí ter recebido Lord Deneral. De lá ele incita os demais senhorios contra o rei, e tem sido ouvido, no que é conhecido como a Rebelião de Sterling ou Guerra Civil de Caithness.

Enquanto isso, os refugiados do Castelo Desafiador acham que o rei nunca quis ajudá-los de verdade! Na verdade ele queria e ainda quer mandar uma expedição, mas nunca teve chance. Ainda está pacificando Mershall, depois de conquistá-la.

Pra piorar, o rei repreendeu publicamente o Lord Marsden de Donlis por lucrar com a pirataria no Rio Fumaça, impondo um pesado aumento de imposto a ele! E o rei só acumula inimigos. Nem é culpa dele, a nobreza do reino é rebelde mesmo.

Leais ao Rei Conall VI estão os senhores de Deerwood, Durham, Fordham, Redhall e Tacitus. Lady Lorena de Deerwood, Lord Berd de Fordham, e Barão Elohar de Tacitus gostam pessoalmente do rei, mas a Baronesa Bronwyn de Durham não é particularmente favorável a ele (sabemos o porquê, muito embora o Rei tenha um amor platônico não correspondido pela baronesa, altos babados!), e o Lord Lathan de Redhall só é leal como uma questão de princípio. Os reinos anões de Zarak também são favoráveis ao rei, por causa das relações comerciais entre eles e porque anões são tradicionalistas e legalistas por natureza.

Do outro lado, os rebeldes são os Senhores de Denton, Donlis, Ferrier, Oakwood, Sterling e Wallace. Os líderes são Brance de Oakwood e Towne de Sterling; ambos têm Deneral como amigo pessoal. As ações do Rei contra Lord Marsden de Donlis foram o pretexto para a guerra, mas o próprio Marsden não está tão convicto disso, embora certamente queira ser independente da coroa, assim como o Barão Nabbick de Ferrier. Já o Barão Cabble de Denton, tem como único desejo alargar seu território na confusão. E o Lord William de Wallace, por outro lado, realmente sente que Conall é um mau rei.

A Igreja de Photius é oficialmente neutra, assim como a Ordem de São Jorge do Dragão, embora o Arcebisto Siccius seja favorável ao Rei. São neutros praticamente todo o sul: Blythe (até porque já foi destruída pelos reptantes em 2001), Harkwood (porque já foi ocupada pelos elfos *) e Simonton (que realmente não quis participar). São neutros também os elfos que vivem em Caithness (assim como os da Grande Floresta e da Floresta de Sterling)

(*) 50 arqueiros elfos chegaram dizendo que vieram de Sylvilara, uma cidade élfica da Grande Floresta (novas localidades!), enviados pela elfa Lleroflyn, para ajudar na defesa contra os reptantes. Os elfos foram chegando, aos poucos, e agora fazem parte da estrutura de poder do baronado. Aliás, Lleroflyn  se tornou a principal conselheira do Barão Fenmarc e, em breve, será sua esposa!!! Se daí sair um herdeiro homem ele herdará Harkwood mas, por hora, a herdeira é Lady Aylara e seu marido Sir. Darrek. Os motivos dos elfos não são claros ainda, mas essa é a primeira grande intromissão de elfos em assuntos homanos!

Magia em Caithness

Banestorm-manalevel

Níveis de mana em Ytarria, clique para ampliar.

Algumas novidades legais aqui! Uma informação nova diz que algumas áreas do reino de Caithness são de nível de mana normal para alto. Lembrando que predomina nível baixo de mana no reino. Essas áreas teriam até 1.5 km, frequentemente menos que isso. Mas a imensa maioria delas é ocupada por magos. Como os fracos não conseguem competir com os fortes, os fortes dominam essas áreas e os fracos ou deixam Caithness, para poderem ser fortes em outros reinos, ou servem como aprendizes e lacaios desses magos mais poderosos, que são donos das regiões de mana normal e alto.

AGORA A REVELAÇÃO. Essas regiões tem mana mais alto por conta de meteoritos. Isso mesmo, bólidos de ferro profundamente enterrados no solo! Como nenhuma quantidade substancial desse metal foi extraída para maiores estudos, os magos guardam isso em segredo. Mas é possível fazer itens mágicos poderosos com o que se tem extraído.

DESLOCAMENTO DE MANA. Parece que a fronteira de Caithness, que é definida pela barreira onde o nível de mana cai de normal para baixo, se DESLOCOU cerca de 80 km para sudoeste!!! Ou seja, Caithness está ficando mais mágica, aos poucos. Mas politicamente a fronteira é a mesma, por hora…

Encerrando…

Espero que tenham gostado da “resenha parcial”. O cenário evoluiu e parece mais instável politicamente, com muitas opções de aventuras a lá Guerra dos Tronos.

Ainda me pergunto sobre as enigmáticas Terras dos Djinns… mas não se preocupe, ao contrário de Fantasy, o GURPS Banestorm dedicou um capítulo só pra elas, mas isso é uma outra história 😀

YtarriaUSA

Ytarria tem 5.000 km de costa a costa, mais ou menos o mesmo tamanho que os EUA. Na imagem os dois sobrepostos. Não é à toa que se parecem…

YRTH sociológico

Com ajuda do GURPS Group Brasil no facebook:

1) EUA Democratas vs. Republicanos, deem uma olhada em 1990’s:
http://www.businessinsider.com/map-how-democrats-and-republ…

2) Megalos é a costa leste dos EUA, e Caithness (Wyoming, Colorado), reinos muçulmanos (Arizona, New Mexico, Texas, Khansas, Oklahoma e sul do Kansas), Cardiel (Louisiana, Arkansas, Mississippi), e Terras Djinn (California? Djinn = Gênios do Vale do Silício) e Terras Orcs. Democratas parece + ou – Megalos e Republicanos os contrários a Megalos.

3) Elfos são os índios americanos: adoram a natureza, vivem em comunidades sem governo, apenas com anciãos, e tem sido sistematicamente destruídos pelo avanço dos Homens.

4) Sahud, aqueles “japoneses” do norte, são os esquimós.

5) Orcs = caipiras americanos (rednecks).

6) Reptantes são os imigrantes ilegais da Costa Oeste, sobretudo mexicanos, acostumados com o deserto.

Share Button

Sobre Nerun

Advogado, historiador, numismata, nerd, colecionador de quadrinhos, RPGista, e super fã de GURPS.