Rolemaster: um sistema das antigas!

Share Button

RolemasterRolemaster é um RPG publicado pela ICE (Iron Crown Enterprises). Seu sistema de regras é focado em cenários de fantasia medieval, sendo baseado em tabelas derivadas de equações matemáticas idealizadas por seus criadores: físicos, matemáticos e engenheiros. Tal ocorreu devido à época em que foi concebido, naquele tempo a maioria dos jogos de RPG era escrita por engenheiros e matemáticos, não devido a uma exigência profissional, mas pela difusão do hobby entre eles. Um exemplo clássico dessa época é o Traveller RPG.

O Sistema

O sistema possui três livros básicos: Character Law, que mostra como construir personagens e explica o funcionamento de um RPG, como organizar uma aventura etc; Arms Law, que explicada as regras dos vários tipos de combate não mágico existentes e onde encontramos as famosas e gigantescas “tabelas de resolução de ataque”. Há uma para cada arma, cabendo ao mestre familiarizar-se com elas sob pena de, literalmente, “enrolar-se todo” caso não o faça; e, Spell Law, que descreve as regras de magia, junto com as listas de feitiços a serem utilizados em jogo.

Apesar de ser um sistema para jogos genéricos de fantasia medieval, o Rolemaster inspirou-se claramente na obra de J.R.R. Tolkien ( autor de “O Senhor dos Anéis” e “O Silmarillion”, entre outros), dada a descrição de raças e classes de personagem.

O sistema usa classes (chamadas profissões) e níveis para descrever as habilidades e o avanço dos personagens, sendo a mecânica central o dado de porcentagem (d100, através do uso de 2d10): o jogador rola os dados, aplica os modificadores relevantes e consulta a tabela apropriada (são várias, uma pra cada tipo de ação e arma).

Os ferimentos também são descritos com bastante realismo, bem como seus efeitos em jogo. Neste sentido difere de D&D, pois o personagem não perde apenas pontos de vida, há sempre um efeito a se considerar. Os combates são em geral bastante mortais, até mesmo pela quantidade de acertos críticos que as tabelas proporcionam. Há tipos de dano, de forma parecida com GURPS: os ferimentos e seus efeitos também estão organizados em tabelas de acordo com o tipo de dano (frio, calor, impacto, corte, perfuração, etc).

Devido a esse uso excessivo de tabelas e detalhismo, os jogadores estadounidenses o apelidaram de Chartmaster (Mestre das Tabelas) ou Rulemonster (Monstro das Regras), brincando com o nome Rolemaster.

Cada personagem de Rolemaster possui dez atributos que variam de 1 a 100, sendo fácil progredir atributos de 50 para 51, e praticamente impossível de 98 para 99. Apesar disso o sistema é baseado em perícias e não em atributos. As perícias possuem ranks (níveis), multiplicados por um valor fixo e então somado ao bônus do atributo correspondente para produzir o modificador que vai ser usado na rolagem de dados. Cada profissão tem um grupo de perícias correspondentes.

A História das Publicações

A história das publicações é muito confusa, mas os estudiosos costumam dividir em dois grupos: o primeiro contendo a primeira (RM1) e a segunda (RM2) edições, e o segundo incluindo a terceira (RMSS) e a quarta (RMFRP ou RFRP) edições.

Rolemaster First Edition (RM1) diz respeito às edições publicadas entre 1980 e 1984, enquanto que Rolemaster Second Edition diz respeito às publicações de 1984 a 1994. Oficialmente a RM2 veio numa caixa conhecida como Red Spine, que reeditava os livros básicos. Esses anos foram muito confusos, haviam muitos suplementos de regras.

No entanto, em 1995 o sistema foi redesenhado e publicado como Rolemaster Standard System (RMSS). As maiores mudanças foram na criação de personagens, especialmente no número de perícias disponíveis e na forma como os bônus para as perícias eram calculados. As perícias foram agrupadas em categorias de perícias semelhantes. Também a sequência de combate foi revista de novo, e alguns dos detalhes da conjuração de magias foram alteradas.

Em 1999, o jogo passou por uma reestruturação rápida sendo lançado como Rolemaster Fantasy Roleplaying (RMFRP), mas esta era principalmente uma reorganização de material com muito poucas mudanças nas regras.

RMFRP é a edição atual das regras de Rolemaster e é, portanto, mais bem provida de novos livros e publicações, sendo mais fácil para novos jogadores interessados. Uma mudança positiva feita em RMFRP foi a adoção de um livro único, contendo uma versão reduzida do jogo completo, de modo que apenas um livro é necessário para jogar. O livro Arms Law proporciona ataques e tabelas novas, enquanto que Character Law acrescenta novas raças, profissões, perícias, talentos e falhas. O antigo livro Spell Law foi dividido em três (Of Essence, Of Channelling e Of Mentalism), cada um apresentando as listas de magia de um dos reinos de poder até o nível 50.

Os problemas que levaram a ICE à liquidação voluntária (uma espécie de falência) também criou problemas com a propriedade intelectual dos sistemas das edições RM1 e RM2. Várias partes possuíam diversos direitos sobre o conteúdo dessas publicações originais, por isso a ICE não foi capaz de republicar os originais. Como resultado, a ICE republicou as regras do RM2 com nova composição e ilustrações em 2007, sob o título Rolemaster Classic (RMC). O núcleo de livros clássicos são Rolemaster Character Law, Arms Law, e Spell Law.

Segundo a editora, não houve alterações nas regras, que são as mesmas. O que mudou profundamente foram a arte interna e a organização das regras, isto é, as regras foram melhor apresentadas de forma a facilitar a leitura e o entendimento, coisa nem sempre presente nas regras da RM2.

rolemaster-classic-character-law

RMC: Character Law

rolemaster-classic-arms-law

RMC: Arms Law

rolemaster-classic-spell-law

RMC: Spell Law

Variantes

Uma variante muito conhecida é o Middle-Earth Role Playing (MERP), que foi durante um tempo a adaptação oficial do mundo criado por J. R. R. Tolkien em “O Senhor dos Anéis”.

Share Button

Sobre Nerun

Advogado, historiador, numismata, nerd, colecionador de quadrinhos, RPGista, e super fã de GURPS.