FUDGE, FATE, Espírito do Século etc

FUDGE-logoPrimeiro veio o FUDGE, que significa Freeform Universal Do-it-yourself Gaming Engine, que em português significa “Sistema de Jogo Adaptável, Universal e Faça-você-mesmo”. Como o próprio nome sugere, é genérico e universal, assim como GURPS, porém ele é Open Game. O acrônimo de FUDGE também brinca com a palavra fudge, que é uma torta levemente doce, aromatizada de chocolate, muito saborosa. O sistema é tão inovador que já ganhou um prêmio da Origins Award de melhor sistema de RPG.

FUDGEMas cuidado, FUDGE não é um jogo! Ao contrário, é um meta-sistema. Não é possível pegar o livro e sair jogando. Primeiro é preciso adaptá-lo ao que se queira. Com ele pode se criar outros sistemas, é para isso que ele serve. Ninguém diz: eu jogo FUDGE! Na verdade você joga um sistema baseado nas sugestões do FUDGE. O Conteúdo Aberto do jogo fornece opções de dados para jogar, possibilidades de sistemas de combate, pontuação etc. O principal diferencial é ser baseado em níveis subjetivos (bom, ótimo, mediano etc) e não em níveis objetivos (números). Assim seu guerreiro pode ter a perícia espadachim ótimo e ser um péssimo dançarino ao invés de ter habilidade 20 em espadas e habilidade 5 em dança. Estranho, mas funciona bem.

FUDGE-rediagramadoO sistema foi publicado pela primeira vez em 17 de Novembro de 1992 por Steffan O’Sullivan (um grande contribuidor de GURPS, diga-se de passagem) e em 1993 ele foi liberado gratuitamente através de uma simples nota legal, quase uma licença própria (anterior à OGL).

Com autorização de O’Sullivan, em julho de 1995 a Grey Ghost Press publicou uma versão impressa das regras de 1993, e em 2000 publicou a FUDGE Expanded Edition, contendo além das regras de 1993 material adicional, como o Fantasy FUDGE, uma versão pré-fabricada de regras de fantasia, como exemplo. Ao todo foram três edições de FUDGE pela Grey Ghost Press, a atual é chamada FUDGE 10th Anniversary Edition publicada, obviamente, em 2005. Muito material foi acrescentado, de modo que essa última edição tem quase duas vezes mais material que a de 2000.

Em março de 2004 a Grey Ghost Press adquiriu os direitos autorais do FUDGE e, em 6 de Abril de 2005 liberou o FUDGE pela Open Game License. Essa SRD do FUDGE equivale à versão de 2005. Em 2009 eles lançaram uma segunda SRD que, segundo eles, é apenas uma versão revisada e corrigida da SRD de 2005. Baixar essa SRD no site da Grey Ghost Press é chato, precisa criar uma conta ou usar a sua do Facebook.

No Brasil, em 2003 o Fábio Emílio Costa traduziu a edição de junho de 1995 do FUDGE. Tendo sido rediagramada em 2007 por Bruno da Silva Lima. Apesar de não termos o FUDGE 10th Anniversary Edition em português, o Fábio também traduziu o Fantasy FUDGE e o Bruno também o rediagramou. Ambos disponíveis no blog Mais Quatro (+4).

FATE2FATE2-ptbrFATE 2.0

Ou Fantastic Adventures in Tabletop Entertainment, também traduzido e diagramado pela dupla Fábio/Bruno como AFIM – Aventuras Fantásticas Interativas em Mesa, é um sistema de jogo, este sim um jogo, criado com as regras do FUDGE. Tendo sido escrito por Fred Hicks e Rob Donoghue.

Não sei precisar em que ano nasceu o FATE, mas acredito que em 2002 tenha saído a versão 1.0, derivada do FUDGE 1995. E em 2003 tivemos a versão 2.0 já pelas mãos da Evil Hat Productions, que detém os direitos autorais agora. O primeiro SRD do FATE 2.0 foi disponibilizada em 31 de março de 2005 (FATE 2.0).

FATE3-SotCFATE-DresdenFilesFATE 3.0, Spirit of the Century e Dresden Files

Em 2006, tivemos o jogo Spirit of the Century, publicado pela Evil Hat (publicado no Brasil em 2012 como “Espírito do Século” pela Retropunk Game Design). O conjunto de regras do SotC é considerado FATE 3.0, e foi também liberado sob a OGL. Há uma tradução da SRD do FATE 3.0 feita pelo já citado Fábio, no já citado Mais Quatro. Mas a tradução está em versão beta ainda, a Beta 3. Praticamente finalizada, apenas sendo revisada. Obviamente ele não usou a marca Espírito do Século, que pertence a Evil Hat, lá está apenas FATE 3.0, com apenas uma menção ao SotC SRD, como assim pede a OGL.

Além do SotC, a Evil Hat também publicou o Dresden Files RPG em 2010, que é um jogo compatível com as regras do FATE 3.0, introduzindo um mundo de magia e mistério, vampiros, demônios, fadas e outras criaturas mágicas num mundo exatamente igual ao nosso. É um mundo sobrenatural por detrás do universo mundano. Algumas regras e conceitos novos adicionados no Dresden Files também foram disponibilizadas sob a OGL, no mesmo site onde vocês podem baixar o SotC SRD (são eles: Advancement, Aspects, The Basics, The Living City e Stunts).

FATE-Starblazer FATE-LegendsofAnglerreStarblazer Adventures e Legends of Anglerre

Starblazer Adventures foi publicado pela Cubicle 7 em 2008, e baseado numa série em quadrinhos de mesmo nome num estilo Rock and Roll Space Opera (segundo o título da capa). Uma diferença para o sistema FATE é que em vez dos 4 dados Fudge, usa-se 2d6 de cores diferentes, onde o valor de um dos dados é subtraído do outro, gerando resultados que vão de -5 até +5.

A mesma editora também publicou o Legends of Anglerre em 2010, também FATE 3.0, porém centrado em fantasia, com duas abordagens: hard fantasy e sword and sorcery. Entre as regras novas do sistema FATE, incluem-se um sistema simples e elegante para a magia e poderes de criatura, habilidades épicas, combos, artefatos mágicos, etc. Duas aventuras introdutórias, um gerador de campanha de fantasia e um bestiário de fantasia irão ajudar os novos jogadores a irem direto para a ação!

FATE-DiasporaDiaspora

Diaspora foi publicado em 2009 pela VSCA Publishing. Ele é um jogo Hard Sci-Fi, isto é, Ficção Científica Densa. Suas regras são FATE 3.0, tendo sido desenvolvido a partir do SRD do SotC. Recentemente a Retropunk adquiriu seus direitos para publicação no Brasil. Em 2010 ganhou o prêmio ENnie Awards, com medalha de ouro pelas melhores regras. A VSCA também fez algumas alterações no sistema, bastante adequadas à ambientação e distribuiu sob a OGL o seu Diaspora SRD.

Strands of Fate

FATE-StrandsofFateE não parou por aí. Também em 2010 surgiu o Strands of Fate, ou “Linhas do Destino”, numa brincadeira com o acrônimo do jogo, pelas mãos da Void Star Games. O jogo foi desenvolvido a partir dos SRDs do Spirit of the Century (o FATE 3.0 original), do Dresden Files e do Starblazer Adventures. Tecnicamente o Dresden Files não deveria ter sido usado como fonte, pois todo ele é Product Identity (“Identidade do Produto”), exceto aquilo que é pura reprodução das regras do Spirit of the Century SRD, consequentemente, suas inovações não são Open Game. Apesar disso, sua influência não é significativa, mais notável é a influência de Starblazer que, com exceção do cenário, todo o resto é Conteúdo Aberto e inovou bastante. Eu diria que o Strands of Fate é quase uma compilação dessas regras, num único livro. Ele tenta construir um manual básico, genérico e universal, e acredito que tenha chegado perto disso.

(Visitado 497 vezes, 1 visitas hoje)

Daniel "Nerun" Rodrigues

Graduado em História (2003) e Direito (2009), ambos pela Universidade de São Paulo. Advogado por profissão, roleplayer por paixão. Além disso, sou nerd, numismata, colecionador de quadrinhos, fã de star wars e RPGista super fã de GURPS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.