Por trás de Dungeons & Dragons

Share Button
1938-2008
Gary Gygax (1938-2008)

Dungeons & Dragons, o jogo mais cultuado de todos os tempos completou 40 anos de existência! Quando surgiu trouxe consigo uma nova forma de jogo, inaugurando um mercado que não parou mais de se desenvolver. Conheça a história por de trás de D&D: criadores e em presas.

Chainmail e o nascimento da TSR

Era uma vez, no distante Estados Unidos da América do Norte (vulgo EUA), no pacato Estado de Wisconsin, no pequeno Condado de Walworth, uma cidadezinha que hoje não chega a 8.000 habitantes, chamada Lake Geneva.

Essa cidade não seria nada, e jamais seria lembrada, se lá não houvesse vivido um grupo de rapazes aficionados por jogos de guerra. Sim, wargamers de verdade, ah sim senhor! Eles criaram uma associação conhecida pelo nada simples nome Lake Geneva Tactical Studies Association (Associação de Estudos Táticos de Lake Geneva), que foi rapidamente abreviada para LGTSA pelo grupo. Era então o raiar da década de 1970, mais especificamente entre Fevereiro e Março daquele ano.

Formavam a composição original da LGTSA: Ernie e Gary Gygax, Terry e Rob Kuntz, Jeff Perren, Mike Reese, Leon Tucker e Don Kaye. Esse grupo costumava se reunir no porão da casa de Gary Gygax, a figura central, que contava com seus 31 para 32 anos.

Nesse ano, a LGTSA comprou várias miniaturas da empresa Elastolin, o que motivou Jeff Perren a desenvolver suas próprias regras de combate em massa para uso dessas miniaturas em wargames. Contava então com 4 páginas. Ele apresentou as regras ao grupo, inclusive a Gary Gygax.

Gary reescreveu as regras e expandiu, publicando na revista Panzerfaust (vol. 5, nº 1, págs. 4-8) como Geneva Medieval Rules (Regras Medievais de Geneva). Três meses depois, Gary Gygax expandiu as regras ainda mais e as publicou na Domesday Book nº5, newsletter da Castle & Crusade Society. Logo depois republicou essas regras na edição de Agosto de 1970 da Spartan International Monthly.

Como havia poucos sistemas de jogos de guerra com miniaturas em circulação naquela época, essas regras despertaram muito interesse da Castle & Crusade Society. Nas edições subsequentes da Domesday Book, apareceram regras adicionais para wargames medievais, cobrindo justa e combate individual.

De Agosto até o final de 1970, Gary Gygax e Don Lowry trabalharam intensamente escrevendo e ilustrando, respectivamente, três produtos para a recentemente fundada Guidon Games.

Somente em 1971 seria oficialmente fundada a Guidon Games, em Evansville, Estado de Indiana. Em Março de 1971, saiu a primeira edição, primeira impressão de um panfleto intitulado Chainmail (Cota de Malha). Que nada mais era que as regras reescritas de Jeff Perren, publicadas na Domesday Book. Gary Gygax o chamou de “adendo”. Havia também uma novidade: 14 páginas com regras para fantasia medieval, com magias, heróis e dragões. Mas ainda era um jogo de guerra com miniaturas.

Chainmail foi um sucesso. Vendia 100 cópias por mês! Produzindo uma segunda edição em Julho de 1972 (com duas impressões, no mesmo ano). Foi então que Gary Gygax e outros fundaram a TSR, Inc em 1973 para publicar seus próprios jogos. A razão para a criação da TSR na verdade foi que a Guidon Games não quis publicar o D&D (explicado a seguir). Era uma abreviação de Tactical Studies Rules, uma referência à LGTSA.

Em 1975 saiu a terceira edição da Chainmail, agora pelas mãos da recém fundada TSR, tendo sido reimpressa oito vezes, de 1975 a Novembro de 1979.

Evolução dos Logos da TSR (clique para ampliar)
Evolução dos Logos da TSR (clique para ampliar)

D&D: eclode um ovo de dragão

1947-2009
Dave Arneson (1947-2009)

Em fins da década de 1960, Dave Arneson entrou para a Midwest Military Simulation Association –  MMSA (Associação de Simulação Militar do Meio-oeste), um grupo tal qual o LGTSA de Gary Gygax, mas situado na cidade de Dave Arneson, em Saint Paul, Estado de Minnesota. Lá ele conheceu David Wesely, criador de um wargame de campanha Napoleônica chamado Braunstein. Durante os jogos desse grupo, Dave Arneson e David Wesely começaram a desenvolver as primeiras ideias do que seria o RPG, mas ainda longe disso.

Durante esse período Dave Arneson começou a desenvolver seus próprios cenários incluindo ideias de Senhor dos Anéis e Dark Shadows.

Em Agosto de 1969 ele conheceu Gary Gygax na GenCon. Como não moravam assim tão longe, e tinham interesses em comum, escreveram seu primeiro trabalho juntos, o jogo de batalhas navais Don’t Give Up The Ship!, publicado em 1972 pela Guidon Games, e republicado em 1975 pela TSR.

Arneson jogava sua campanha Napoleônica, com as regras derivadas do Braunstein de David Wesely, mas as achava rígidas demais. Aí descobriu as regras da Chainmail de Gary Gygax e Jeff Perren, e as adotou, modificando-as para seu jogo Blackmoor, que já contava com temática de fantasia medieval e exploração de masmorras e castelos com criaturas à espreita, já não mais um wargame. Na verdade estava mais para um cenário de campanha que para um conjunto de regras. Foi publicado um resumo desse cenário também na Doomsday Book nº 13 (Julho/1972).

Em Novembro de 1972, Arneson e David Megarry viajaram até Lake Geneva para encontrar com Gary Gygax. Arneson imaginou que Gygax pudesse se interessar pelo jogo de tabuleiro Dungeon!, que Megarry desenvolveu como jogador durante as campanhas de Blackmoor, e Gygax já tinha expressado seu desejo em jogar Blackmoor com Arneson, para experimentar.

Depois de jogar Blackmoor com Arneson como Mestre, Gygax imediatamente começou uma campanha similar, chamada Greyhawk (que é um dos universos clássicos de D&D) e até pediu um rascunho das regras que Arneson usava em Blackmoor. Começaram a colaborar por telefone e cartas, testando o jogo e fazendo contatos. O texto final e preparação do jogo foi feito por Gygax, com as ideias de Arneson. Gygax disse uma vez que Arneson chegou cheio de ideias e alguns rascunhos, e que ele, Gygax, escreveu 100 páginas de material com as ideias de Arneson. Gygax e Arneson queriam publicar o jogo, mas a Guidon Games e a Avalon Hill rejeitaram o projeto. Arneson não tinha como investir na empreitada. Então Gygax e Don Kaye, membros e amigos na LGTSA, fundaram a TSR em Outubro de 1973.

Dungeons & Dragons foi publicado em Janeiro de 1974. Sendo chamado hoje de “D&D Original“. O jogo vendeu 1000 cópias no primeiro ano, 3000 no segundo e não parava de crescer. Nasceu o jogo de maior sucesso de todos os tempos.

TSR – Amigos amigos, negócios à parte

Gary Gygax e Don Kaye precisavam de dinheiro, e esse foi só o começo do problema, eles convidaram Brian Blume a fazer sociedade, era Dezembro de 1973. Tudo ia bem até Don Kaye morrer inesperadamente em 1975, e D&D já se anunciava como um sucesso. Foi então que Melvin Blume, pai de Brian Blume comprou as ações da família do falecido Don Kaye, repassando essas ações depois para seu outro filho, irmão de Brian Blume, o Kelvin Blume. Assim os irmãos Blume ficaram com o controle acionário da TSR.

No final da década de 1970, D&D já era um monstruoso sucesso, e carro chefe da companhia. Com isso a TSR se tornou uma grande força na indústria de jogos nos EUA. Em 1976 o rendimento da empresa foi de US$ 300 mil.

Dave Arneson nunca foi sócio da TSR, mas trabalhou para ela como desenvolvedor de jogos até 1976. Ajuizou ação contra a empresa em 1979 alegando ser co-criador de D&D e cobrando royalties, houve acordo e ganhou uma bolada. Voltou a trabalhar para a TSR, por pouco tempo em 1980, depois saiu de novo.

Em 1984 a TSR passou por dificuldades financeiras e Gygax tentou tirar os Blume da diretoria da companhia. Os Blume então venderam as ações para Lorraine Williams, que conseguiu e forçou Gygax a deixar a companhia no final de 1985. Acabava com isso a Era Gygax na TSR (1973-1985).

TSR sob nova direção – bancarrota!

Sob a direção de Williams a TSR continuou a prosperar por alguns anos, mas começou a ir mal das pernas em 1995, decaindo em vendas. Lorraine Williams não entendia nada de jogos, diziam que ela se via superior aos jogadores, e que chegou a proibir de jogar dentro da companhia. O resultado foram jogos produzidos e vendidos sem passar pelo devido playtesting! Em 1996 lançou a fracassada tentativa do cardgame Spellfire, para fazer frente ao Magic: The Gathering, além do jogo de dados DragonDice.

Apesar de contar com vendas na ordem de US$40 milhões, o caixa da companhia se viu vazio e de face para a insolvência. Explica-se: vários romances não venderam como esperado, e havia várias caixas de DragonDice produzidas que teriam que ser pagas, fora que a empresa que fazia a logística de distribuição de produtos da TSR se recusou a continuar a trabalhar se a TSR não pagasse, e ela não podia pagar, não tinha caixa! Foi a bancarrota.

Wizards engole TSR

wotclogoAssim TSR foi vendida para a Wizards of The Coast (dona do Magic) em 1997 pela bagatela de US$ 25 milhões. Eles continuaram a usar o nome TSR por 3 anos, até sair uma nova versão de D&D, a terceira edição (3.0) no ano 2000, quando extinguiram a marca. A marca expirou e foi registrada por outro grupo.

Em 1999 a Wizards foi comprada pela Hasbro, Inc por US$ 325 milhões. A Hasbro é uma gigante, e vale hoje US$ 8,77 bilhões na bolsa de Nova Iorque.

A razão foi simples, a Hasbro viu muito potencial na Wizards devido ao sucesso de Magic: The Gathering e, em 1994, tentou comprar a Wizards mas não conseguiu. Em 1998 comprou a Avalon Hill (ex produtora do RuneQuest). Depois a Hasbro viu o sucesso que a Wizards também fazia com Pokémon Trading Card Game, aí fez nova oferta em 1999 e conseguiu levar a empresa.  Aí, deu a Avalon Hill pra Wizards, e hoje a Avalon Hill é uma subsidiária da Wizards.

E isso cobre a história até D&D 3.0, o resto é bastante conhecido. Talvez acabe escrevendo sobre isso um dia.

Wizards hoje

Hoje, Magic: The Gathering é a maior marca de jogo dos Estados Unidos, ao menos é o que afirma a Hasbro, gerando lucros de US$ 200 milhões por ano em 2012! Muito mais que jogos maninstream e tão perenes quanto Magic (+20 anos) como Monopoly, Clue e Battleship, também de propriedade da Hasbro. E isso é só o Magic, embora seja o principal jogo da Wizards. Com certeza a aquisição valeu cada centavo.

Bibliografia

Wikipedia (em inglês):

The Acaeum – Dungeons & Dragons Knowledge Compendium:

Outros sites

Share Button
(Visitado 104 vezes, 1 visitas hoje)