Moedas de Papel para seus jogos de fantasia

Share Button

Esta é uma repostagem. Faltavam as moedas de cobre, que agora adiciono. Também mudei a licença: agora está em domínio público, façam o que quiserem.

Que tal utilizar moedas de papel para representar as suas moedas de fantasia medieval? Essa é a proposta deste post.

Quando um material é usado para representar algo num jogo, ele é chamado de contador (counter), quando é usado para representar uma situação é chamado de marcador (marker).

Com essa ideia na cabeça desenvolvi contadores para representar as famosas Peças de Cobre (PC), Peças de Prata (PP) e Peças de Ouro (PO).

Algumas considerações

Você sabia que durante a Alta Idade Média não se cunhou moedas de ouro? Quem o fez foi apenas o Império Bizantino (Império Romano do Oriente), pois no Ocidente, Roma já havia caído, e o Imperador Carlos Magno (Império Carolíngeo) só cunhou moedas de prata e outros metais menos nobres.

Vide este post que escrevi: A desvalorização do dinheiro em D&D.

Mesmo durante a Baixa Idade Média pouco se cunhou moedas de ouro. Elas começaram a ser cunhadas pelas Repúblicas e cidades-estado italianas, que começaram a enriquecer com o comércio marítimo com o oriente.

Durante a maior parte da Idade Média, as moedas de ouro eram moedas de contabilidade. Ou seja, você não possuía aquelas moedas fisicamente, mas as usava para facilitar a contabilidade nos livros contábeis.

Mesmo assim, nunca houve apenas UMA moeda de ouro, UMA moeda de prata e UMA moeda de cobre. Havia frações destas moedas.

Em Portugal medieval usava-se o sistema Libra (20g de prata) – Soldo (1g de prata) – Dinheiro (talvez cobre). Comum era a Mealha, isto é, a metade do dinheiro (que vem da palavra denarius, uma moeda romana antiga). E daí vem a expressão “amealhar” (juntar dinheiro).

Mesmo quando se começou a cunhar moedas de ouro, o mais comum é que não tivesse mais de 8 gramas desse metal, o mais frequente eram 4 gramas quando eram grandes e, na maioria dos casos, entre 1 e 2 gramas. Sim, do tamanho de um botão! As de prata podiam chegar a 20 gramas, não mais que isso, sendo mais frequente massas abaixo de 10 gramas de prata. Isso se explica pela raridade desses metais. Essa realidade foi constante até mesmo durante o Brasil Colônia (abundância de ouro). É o que nos ensina Arnaldo Russo, no seu Livro das Moedas do Brasil.

Um sistema artificial

Pensando nisso criei três tipos de moedas para cada metal:

  • Peças de Ouro têm valores de face de 100, 200 e 500, e pesam respectivamente 2, 4 e 10 gramas.
  • Peças de Prata têm valores de face de 10, 20 e 50, e pesam respectivamente 2, 4 e 10 gramas.
  • Peças de Cobre têm valores de face de 1, 2 e 5, e pesam respectivamente 2, 4 e 10 gramas.

É claro, o peso não está impresso/escrito nas moedas de papel que eu fiz e que disponibilizarei a seguir, é só uma sugestão mais ou menos “realista”.

Quanto aos valores, eles representam o valor do metal nelas. Os valores impressos ajudam a facilitar o câmbio das moedas. Perceba que o padrão adotado em Dungeons & Dragons se mantém (1 PO = 10 PP = 100 PC). Uma PO de 500 vale 10 PP de valor 50 e 100 PC de valor 5! O mesmo com as moedas de valor 200/20/2 e 100/10/1.

Dungeons & Dragons adotou o padrão 1/10/100 para facilitar a contabilidade na ficha de personagem, mas com moedas de papel, você pode usar três versões diferentes de cada metal, para maior realismo.

Baixando as moedas

Baixe as moedas de papel clicando aqui.

Share Button
(Visitado 188 vezes, 1 visitas hoje)