Alone Among the Stars

Share Button

* Sozinho Entre as Estrelas v2.0 *

Por Takuma Okada | noroadhome.itch.io | Tradução por Daniel Dias Rodrigues

Um jogo de RPG solo sobre exploração de planetas fantásticos.

Você é um aventureiro solitário, saltando de planeta em planeta explorando. Cada mundo possui características únicas para você descobrir e registrar. Elas são representadas por cartas de um baralho comum, colocadas com a face para baixo.

Para encontrar um novo planeta, primeiro role um dado de seis lados e pegue um número de cartas igual ao número rolado, colocando-as sobre a mesa com a face virada pra baixo.

Para virar uma carta e descobrir algo, role um dado de seis lados novamente. Isso vai te dizer como você achou essa descoberta:

1-2: foi difícil chegar no local.
3-4: você se deparou com ela de repente.
5-6: você a percebeu enquanto estava descansando.

O naipe determina o tipo de descoberta:

Ouros
Seres vivos: pessoas como você ou não, peixes, dinossauros, lobos, pássaros, insetos gigantes etc.

Paus
Plantas e outras formas de vida imóveis: árvores altas, plantas carnívoras, samambaias gigantes, ervas daninhas brilhantes, flores flutuantes, cogumelos gelatinosos etc.

Copas
Ruínas: obeliscos misteriosos, templos cobertos de videiras, habitações abandonadas de pessoas maiores do que você, uma nave espacial destruída etc.

Espadas
Fenômenos naturais: enormes formações de cristal, miragens, relâmpagos de cores vivas, nuvens estranhas, rochas erodidas em formas estranhas, veios de metais preciosos etc.

O número determina o local da descoberta:

A: Em um campo mais alto que você.
2: Sob a luz da(s) lua(s).
3: Por um rio tranquilo.
4: Em um cânion íngreme.
5: No topo de uma árvore.
6: No pico nevado de uma montanha.
7: Perto de um vulcão.
8: Em uma geleira.
9: No subsolo profundo.
10: Na face de um penhasco.
J: No deserto.
Q: Em águas profundas.
K: Flutuando no ar.

No diário de bordo da sua nave (um pequeno caderno, se você tiver um), registre uma breve descrição e sua reação em algumas frases, e passe para a próxima carta. Cada vez que você completar um planeta, dê a ele um número ou um nome e encontre um novo planeta.

Jogue até ficar cansado e querer voltar para casa. Se você quiser se lembrar de suas viagens, salve o diário. Se as lembranças lhe trazem dor, queime-o.

Exemplo

Este é um jogo de escrita, e serve para exercitar a criatividade. Não é para ficar horas jogando.

Vamos lá:
1. Rolei 4 em 1d6, saco 4 cartas;
2. Vou pegar a primeira, então rolo outro d6 pra descobrir como descobri e tiro 5 (“estava descansando”).
3. A carta era um Rei de Espadas, então era um fenômeno natural flutuando no ar…

Diário de bordo da nave Razor Crest. Explorando planeta F-619.

Dia 1
Após longas caminhadas por vastas planícies de terra árida, tendo sob meus pés o solo rachado pelos dois sóis escaldantes, decidi descansar sob a sombra de uma formação rochosa. Olhei para o horizonte e me maravilhei com relâmpagos cor-de-rosa. Parece que em algum lugar desse planeta chove. Onde chove deve haver vida…

Continuo a exploração… 2 + Rei de Paus… Meio parecido, mas ok.

Dia 3
Tive uma dificuldade enorme para cruzar aquele deserto, foi difícil chegar nesse vale chuvoso. E a primeira coisa que vi foi uma planta, que mais se parece com uma trepadeira ou uma samambaia, só que ela flutuava no ar!!! E ela estava vindo na minha direção…

Um 4, isto é, “de repente”, um 7 de Copas:

Dia 17
Após duas semanas fugindo daquelas trepadeiras carnívoras voadoras, me deparei repentinamente com um vulcão fumegante. Logo na sua base, às margens de um rio, vejo, estarrecido, as ruínas do que parece ser um templo, coberto de videiras parecidas com aquelas trepadeiras que já conheci, embora essas parecessem não voar. O templo lembrava as pirâmides mesoamericanas, gostaria de tê-lo explorado, mas vi restos de criaturas na escadaria, e uma videira a abraçava com força. Ambas as criaturas: videira e sua refeição, mereciam ser estudadas, mas o bom senso me fez seguir adiante. Recarrego meu cantil e sigo rio acima.

Um 1 + 3 de Espadas:

Dia 26
O rio é tranquilo em todo seu trajeto, mas as margens são cheias de pedras, e algumas videiras carnívoras ainda aparecem ocasionalmente, tornando a viagem difícil. Consegui deixar o vale e retornar ao deserto. Atrás de mim, os relâmpagos cor-de-rosa novamente, nuvens de cores bruxuleantes enriqueciam a paisagem. Fiquei feliz de deixar o vale. Será uma longa viagem para cruzar o deserto novamente e retornar à Razor Crest.

Nada mal para uma primeira exploração espacial. O planeta F-619 é bem inóspito para um explorador solitário.

Só anotei os resultados dos dados e das cartas para vocês acompanharem. Não precisam registrar isso no seu diário de bordo. O nome do planeta eu apenas dedilhei aleatoriamente no teclado. Os dias foi eu que escolhi, para se adequarem melhor à história que estava escrevendo.

Você pode trocar as cartas por dados se quiser, funciona bem. Eu fiz um programinha em Python para facilitar pra mim:

>>> Alone Among the Stars – script python <<<

Share Button
(Visitado 100 vezes, 1 visitas hoje)